preloder
facebook instagram linkedin youtube

NOTÍCIAS

19/05/2021

Sequelas e tratamentos pós-Covid-19.

Mesmo após semanas ou meses recuperados da infecção pelo coronavírus, muitos pacientes precisam receber acompanhamento médico devido às diversas sequelas que a doença pode causar. “A síndrome pós-covid afeta crianças e adultos e pode resultar em sequelas pulmonares, neurológicas, distúrbios psiquiátricos, dores do corpo (mialgia) e outras consequências”, explica o Dr. Paulo Salles, Pneumologista do Hospital Albert Sabin (HAS).

Na parte respiratória, a mais afetada pelo pós-covid, as complicações frequentes são tosse, dificuldade ao respirar, falta de ar e cansaço. Tais sintomas podem desaparecer após algum tempo, contudo, se forem persistentes, são considerados sequelas e devem receber atenção médica especializada.

Os tratamentos consistem na vigilância e na diminuição dos sintomas e desconfortos respiratórios. Muitas vezes, são realizados exames laboratoriais e de imagens para o correto diagnóstico da doença, tal como seu grau. Uma temida complicação da COVID- 19 é a fibrose pulmonar.

“A fibrose pulmonar é como um “endurecimento” do pulmão. O órgão perde a sua vitalidade e a sua capacidade respiratória, gerando, progressivamente, falta de ar, que pode persistir durante meses, anos ou até para o resto da vida”, adverte o Dr. Salles.

O tratamento se dá através de medicamentos, como corticoides e imunossupressores, suplementação de oxigênio, reabilitação pulmonar e até, em casos extremos, transplante de pulmão.

Importante esclarecer que tanto as sequelas citadas, quanto muitas outras, ainda estão sendo estudadas por médicos e cientistas. Por tratar-se de uma doença nova e com algumas variantes, os casos são analisados, diagnosticados e tratados individualmente.

“No mais, apresentando qualquer sintoma, o paciente deverá procurar assistência médica especializada o mais breve possível. Como muitas outras, as doenças pulmonares respondem melhor aos tratamentos quando diagnosticadas precocemente”, finaliza o médico do HAS.

Assista ao vídeo:

 

Fonte: MCAtrês