preloder
facebook instagram linkedin youtube

NOTÍCIAS

16/01/2022

A importância do farmacêutico no hospital.

Em 20 de janeiro comemoramos o Dia do Farmacêutico. Segundo o CFF (Conselho Federal de Farmácia), a data foi escolhida em função da fundação da Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF), na época a maior instituição representativa da categoria, no País, em 1916.

“O profissional farmacêutico é responsável pela pesquisa, produção, distribuição e promoção do uso seguro e racional de medicamentos. Dentro da sua área, o farmacêutico pode atuar em mais de 100 atividades, como hospitais, indústria de medicamentos ou materiais médicos hospitalares, laboratórios, distribuidoras, drogarias, farmácias de manipulação, serviços públicos como postos de saúde, institutos de pesquisa, vigilância sanitária, entre outros” diz Mayra Gabriela Bento Teixeira, Coordenadora de Farmácia do Hospital Albert Sabin (HAS).

Apesar de competir ao médico a prescrição de medicamentos, cabe ao farmacêutico dispensá-los ao paciente. O elo entre os dois profissionais é de extrema importância, em busca da promoção da saúde, adesão ao tratamento, controle de doenças e uso seguro de medicamentos. Também é dever desse profissional instruir a população sobre o uso seguro e racional de remédios, orientar sobre a maneira correta de uso, efeitos adversos e monitoramento após a fase de comercialização.

O farmacêutico age como um mediador na relação médico paciente, gerenciando tanto as ações de assistência farmacêutica prestada aos serviços de saúde como as informações que serão fornecidas sobre os medicamentos prescritos durante o tratamento, tanto para o paciente como para os outros profissionais da equipe.

Já em ambiente hospitalar, as atividades do farmacêutico são:

  • Prestar serviço de atenção farmacêutica a pacientes internados e ambulatoriais, visando ao uso racional dos medicamentos;
  • Atuar na logística farmacêutica, tendo o medicamento como insumo mais importante;
  • Agir como responsável legal pelo fluxo de medicamentos dentro da unidade hospitalar e sua dispensação por meio de sistemas que permitam fluxos racionais e que minimizem a ocorrência de erros;
  • Analisar e comparar custos e consequências das terapias medicamentosas aos pacientes;
  • Monitorar atividades relacionadas ao controle de qualidade dos insumos recebidos;
  • Estabelecer e conduzir uma relação de cuidado centrada no paciente;
  • Realizar intervenções farmacêuticas, com o objetivo de melhorar a farmacoterapia dos pacientes e garantir a maior adesão ao tratamento;
  • Realizar consulta em ambiente adequado, fazendo a anamnese farmacêutica, bem como verificar sinais e sintomas e identificar e intervir em interações medicamentosas indesejadas e clinicamente relevantes.

O Hospital Albert Sabin, de São Paulo, altamente estruturado para as mais diversas especialidades, visando tratamento mais humanizado e com o que há de melhor em termos tecnológicos, cumprimenta e parabeniza esse importante profissional da saúde pelo seu dia.

Mayra ainda salienta que o HAS conta com uma equipe farmacêutica altamente qualificada e certificada. “O farmacêutico é parte da equipe multidisciplinar e, portanto, está prontamente atento às necessidades de pacientes e do corpo clínico”, completa.

Fonte: MCAtrês