preloder
facebook instagram linkedin

NOTÍCIAS

22/11/2018

Previna-se das doenças relacionadas ao verão

Embora o verão remeta a diversão, praia, férias e outros vínculos agradáveis, é também um período de prevenção das muitas doenças relacionadas à estação. São aquelas pertinentes ao aumento de vetores transmissores, como, por exemplo, os mosquitos. Também são mais frequentes nesse período, as doenças transmitidas por bactérias que se proliferam em altas temperaturas.

Entre os exemplos do primeiro grupo estão a dengue, a chikungunya, o zika vírus, a febre amarela, a malária e outras. Apesar de a prevenção ser simples, essas doenças são responsáveis, anualmente, por inúmeras internações, visitas ao pronto atendimento e até óbitos.

“A prevenção dessas moléstias está diretamente relacionada ao combate do vetor transmissor, já que a infecção não é transmitida de pessoa a pessoa sem a ação do mosquito. Ou seja, temos que intensificar as medidas de controle e prevenção da proliferação do inseto, como evitar água parada e acúmulo de lixo. Outra medida recomendada é o uso de repelentes nas áreas de pele expostas, e de roupas claras, que afastam o mosquito”, explica a Dra. Dania Abdel Rahman, infectologista do HAS.

Não existe tratamento específico medicamentoso para o vírus da dengue. A abordagem consiste em hidratação vigorosa e medicações sintomáticas. Analgésicos simples são utilizados devido a cefaleia e dor no corpo, além de combate à febre. Está proibido o uso de anti-inflamatórios e AAS, já que essas medicações podem predispor a sangramentos.

No caso da febre amarela, a principal forma de prevenção é tomar a vacina, que é extremamente eficaz e deve ser administrada, no caso da dose completa, uma vez na vida. Quando é recebida a dose fracionada, deve ser repetida em oito anos.

“Porém, pelo fato de existirem algumas restrições, como a não indicação a pessoas com problemas vasculares ou renais, grávidas, transplantados e outras, deve-se sempre consultar um médico antes de se imunizar”, adverte a Dra. Dania.

Quanto às patologias transmitidas por bactérias que se proliferam em altas temperaturas, como as contidas em alimentos expostos ao calor, a dica é sempre consumir alimentos frescos e bem refrigerados, evitar comidas e água de origem desconhecida e lavar as mãos constantemente. Essas simples recomendações podem evitar intoxicações alimentares com infecções gastrintestinais.

“Importante citarmos também, como doenças do verão, as doenças de pele, causadas por vírus e bactérias que se proliferam com maior facilidade nessa época, como impetigo e varicela (catapora), as conjuntivites, doença causada por vírus ou bactérias que tem sua proliferação facilitada pelas altas temperaturas, as micoses, que são doenças fúngicas proliferadas em ambientes úmidos e quentes e a desidratação”, alerta a infectologista.

Enfim, hábitos simples como lavar as mãos frequentemente, usar filtro solar, hidratar-se constantemente e prevenir os mosquitos podem evitar sobressaltos e garantir o desfrute dessa agradável estação.