preloder
facebook instagram linkedin

Notícias

16/01/2020

Conheça os tipos mais comuns de lesões em atletas amadores, como evitá-las e tratá-las.

Cada vez mais comum entre a população, a prática esportiva é fundamental para manutenção de uma vida saudável. Porém, a falta de informação para realização de atividades físicas e a busca por resultados cada vez melhores e mais rápidos, podem levar a lesões.

“Felizmente, as lesões mais comuns são as mais leves, como as musculares, câimbras, tendinite, bursite e entorses. Contudo, tanto o indivíduo que frequenta a academia três vezes na semana quanto o corredor que disputa uma ou outra corrida no mês, estão sujeitos a lesões mais graves, como fraturas por estresse, lesões ligamentares graves, luxações e rotura muscular”, explica o Dr. Rodrigo Vetorazzi, médico ortopedista do Hospital Albert Sabin de São Paulo (HAS).

Passar por avaliações médicas, físicas e posturais, fazer um bom aquecimento antes de qualquer prática esportiva, manter uma rotina de descanso, respeitar os limites do corpo e usar calçados e roupas adequados podem ajudar a evitar essas desagradáveis lesões. “Caso, mesmo tomando todas as precauções, o atleta se lesione, o mais importante é, a partir da avaliação dos sintomas, fazer o diagnóstico da lesão quanto a sua classificação, como local, tipo e grau, para então começar com o tratamento com os especialistas corretos, geralmente ortopedistas e fisioterapeutas.” diz o Dr. Vetorazzi.

Abaixo, as lesões mais comuns em atletas amadores:

Câimbra – contração dolorosa e involuntária de um músculo ou grupo muscular, geralmente ocasionada por esforço intenso, desidratação ou perda de eletrólitos.
Lesão muscular – lesão da fibra muscular geralmente associada ao estiramento excessivo;
Contusão – lesão ocasionada por trauma direto de objeto sobre a pele, sem que haja ferimento externo;
Entorse – lesão articular ocasionada por trauma indireto no local, causando lesão ligamentar ou da cápsula articular;
Tendinite – inflamação de um ou grupo de tendões;
Bursite – inflamação da Bursa, bolsa que reveste as articulações, principalmente no ombro, quadril, joelho e cotovelo;
Luxação – perda da congruência de uma articulação. O termo é utilizado erroneamente para definir lesões e contusões leves, porém, é uma lesão grave e com necessidade de tratamento, geralmente cirúrgico, de urgência;
Fratura – quando ocorre rotura da arquitetura óssea. A fratura por estresse ocorre por microtrauma de repetição devido ao esforço intenso e repetido em um membro ou articulação, sem que haja tempo hábil para reparação.
“No mais, além dos cuidados já citados, é de extrema importância o atleta amador dispor de orientação profissional especializada, como ortopedista, médico do esporte, educador físico e fisioterapeuta”, finaliza o Dr. Rodrigo.

Fonte: MCAtrês